23°C 26°C
Lauro de Freitas, BA
Publicidade

Pesquisador de universidade portuguesa visita sede do MP

O Ministério Público estadual recebeu ontem, dia 4, em sua sede no bairro de Nazaré, em Salvador, a visita do professor Quintino Lopes. Pesquisador...

06/07/2024 às 12h09
Por: Redação Fonte: MP - BA
Compartilhe:
Foto: Reprodução/MP - BA
Foto: Reprodução/MP - BA

O Ministério Público estadual recebeu ontem, dia 4, em sua sede no bairro de Nazaré, em Salvador, a visita do professor Quintino Lopes. Pesquisador da Universidade de Évora, em Portugal, Lopes veio a Salvador para investigar a história do antigo Laboratório de Fonética da Universidade Federal da Bahia (Ufba), que funcionava no prédio que hoje abriga o MP baiano. O docente foi recebido pelo promotor de Justiça Alan Cedraz, coordenador do Núcleo de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Nudephac).

Foto: Reprodução/MP - BA
Foto: Reprodução/MP - BA

Continua após a publicidade

Implantado no final da década de 1950, o Laboratório de Fonética da Ufba foi o primeiro laboratório de Fonética Experimental da América do Sul. O equipamento fazia parte das instalações da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras e funcionou no local até o ano de 1986, quando foi desativado em decorrência de um incêndio. Em 1994, o MP se instalou no espaço, onde opera até os dias atuais.

Foto: Reprodução/MP - BA
Foto: Reprodução/MP - BA

Acompanharam a visita do professor Quintino Lopes, além do promotor de Justiça Alan Cedraz, o coordenador administrativo da sede de Nazaré, Josias Marques Neto; o historiador Miguel Soares e o arquiteto Diogo Vasconcellos, servidores do Nudephac. Também participaram do encontro a professora Silvana Ribeiro, titular do Instituto de Letras da Ufba; Célia Marques Telles e Jacyra Andrade Mota, professoras eméritas do Instituto de Letras da Ufba; e Josane Moreira de Oliveira, professora plena da Universidade Estadual de Feira de Santana e ex-aluna do Instituto de Letras da Ufba.

Continua após a publicidade

Para Miguel, a visita teve importância significativa por ajudar a contar a história do local que o MP ocupa hoje. “No ano de 2024 são completados 30 anos que o Ministério Público ocupa essa edificação e aqui temos testemunhas importantes sobre a história desse espaço, que conta um pouco da história da Bahia. É muito importante a gente conhecer um pouco dessa história”, destacou.

Continua após a publicidade

Fotos: Sérgio Figueiredo

Continua após a publicidade

*Estagiário de Jornalismo sob supervisão de Maiama Cardoso (MTb/BA 2335)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários